segunda-feira, 29 de março de 2010

Greve dos enfermeiros

Mais uma vez, a classe dos enfermeiros convoca uma greve (de 4 dias) principalmente por questões salariais, apesar de já ter sido acordado um aumento salarial na ordem dos 20% até 2013! Os enfermeiros alegam que são os únicos licenciados que ganham 900 euros uma vez que as restantes licenciaturas auferem de rendimentos no valor de 1200 euros mensais. A meu ver, a greve é um direito que assiste a todos, mas não se estarão a esquecer dos técnicos de diagnóstico e terapêutica que, além de ainda não ter sido revista a carreira, auferem dos mesmos 900 euros ou até bastante menos e continuam a trabalhar em condições bastante precárias? Os mesmos que nem sequer têm acordo de aumento salarial seja para que ano fôr... Seria de bom senso a classe enfermeira lembrar-se um pouco dos seus "colegas" técnicos antes de partirem para nova greve ou então seria igualmente de bom senso que a classe técnica partisse para uma greve conjunta com os enfermeiros nem que fosse para conseguir o mesmo acordo dos 20% em 2013...

9 comentários:

Anónimo disse...

Estás equivocado, nunca foi proposto um aumento de 20% aos enfermeiros. Segundo, se somos ambos profissionais de saúde, não somos colegas nesse sentido. As formações são diferentes, temos auto-regulação na minha profissão (Ordem). O nível de exigência é diferente (grau 3 de complexidade das Carreiras Especiais).

Se a tua profissão deve merecer esse estatuto, é isso que tu e os teus colegas devem defender.

No nosso caso, nós temos formação acrescida, temos uma ciência entendida como tal (Enfermagem), temos uma classificação de diagnósticos de Enfermagem CIPE, reconhecida pela OMS, temos um conjunto alargado de intervenções autónomas, em que o enfermeiro não necessita de outro profissional para actuar. Somos mal pagos, para o nosso nível de formação, assim como por todo o nosso trabalho realizado.

Não reconhecer isso é injusto. Quanto a vocês, organizem-se e justifiquem as vossas posições.

Espinha disse...

Caro colega,

de facto tens razão em dizer que estou equivocado, como se pode ler aqui o aumento de 20% pode já verificar-se em 2011... O meu objectivo não foi reprovar a vossa greve de todo, apenas mencionei que nos vossos argumentos se estavam a esquecer de outros licenciados que ganham igualmente ou pior no mesmo sector que é a Saúde. Apelei até a uma união das nossas classes para promover um impacto maior nas negociações. Não estou a por em causa a vossa qualificação nem mencionei que também nós temos "um conjunto alargado de intervenções autónomas" como poderei dar como exemplo o serviço de hemoterapia (transfusões de sangue). Concordo que temos ainda muito que negociar para que a nossa carreira seja reconhecida como deve ser e precisamente por isso referi que, tendo voces um acordo salarial feito com o ministério, não será um pouco injusto esquecerem-se que dentro do mesmo ministério existem outros colegas com condições mais precárias e que urgem de uma negociação antes da vossa, uma vez que atravessamos uma era de fundos limitados?

Espinha disse...

PS: não leves a mal chamar-te colega pois nós, assim como os médicos, devemos ser colegas para o que realmente importa; estar ao serviço do doente. :) Não vale a pena estarmos a comparar as formações pois como bem dizes, temos áreas de actuações diferentes, seja que colega for.

Lili disse...

Os enfermeiros não se esquecem dos "colegas" de outras áreas, no entanto, compete-nos defender a nossa profissão e lutar por aquilo que consideramos ser justo para a nossa classe...

Um professor também não vai lutar em nome de um engenheiro...

Organizem-se e os enfermeiros certamente estarão solidários com a vossa causa! Assim como esperamos que estejam com a nossa.

Anónimo disse...

A proposta foi para o escalão de início da carreira, e de uma forma faseada. Isto é só os recém-formados seriam aumentados e um terço cada ano até 2013. Acontece que não é justo que colegas que tem formação superior, especialidades, mestrados e até doutoramentos não tenham revalorização salarial.

Espinha disse...

Sim concordo com a Lili, e lamento anónimo, pensei que se aplicava a todos os enfermeiros, mas numa coisa temos todos em comum: sermos contribuintes. Para que um Orçamento de Estado seja cumprido deverá ser equacionado um conjunto de objectivos e se existe um aumento salarial de alguma classe, algum outro objectivo terá que sofrer com esse aumento. Nesse sentido se um engenheiro assiste a uma reinvindicação salarial de um professor, esse aumento, em parte, sairá do bolso do engenheiro e portanto essa matéria tem tudo a ver com a classe engenheira. Com isto, estará a ser a classe enfermeira justa com o Ministério da Saúde ao fazer nova greve após ter sido aprovada, pelo menos, uma melhoria salarial aos recém formados enfermeiros? Não seria justo esperar pela regularização da classe técnica uma vez que os fundos são comuns a todos (e os técnicos irão também contribuir para o vosso aumento)?

Giga disse...

essa do professor e engenheiro nao tem muita logica. são coisas diferentes, debaixo da organização e responsabilidade de ministérios diferentes.

Quanto à questão dos enfermeiros. Acho que fazem muito bem em fazer greve. Se se julgam merecedores de mais acho que devem usar as armas que a democracia vos dá. e espero sinceramente que consigam, embora me meta um pouco de espécie aquele discurso do primeiro comentario "ah e tal nós é que somos"...

e embora de areas distintas, ha uma coisa que une enfermeiros e tecnicos: a saude. e como tal, penso que deve existir um equidade entre os diferentes profissionais de saude. nao considero que a enfermagem possua uma formação mais exigente que a nossa, nem o contrario. Tanto que até temos os mesmos anos de formação... pelo que nao acho que a distinçao se deva fazer por ai, e concorde com a opinião do espinha. Porque deve um enfermeiro receber 10, um tec farmacia 9 e um radiologista 8 por exemplo? Claro que por certo os enfermeiros quererão mais equivalencia aos medicos... mas enfim. a discussão seria longa e um entendimento entre todos os grupos profissionais dificil.

o grande mal dos tecnicos talvez seja a falta de organização e falta de união da classe, algo que os enfermeiros possuem à largos anos. e por isso, conseguem estes aumentos (sejam lá de quanto % forem) e nós nem sequer conseguimos ver a nossa classe devidamente reconhecida.

resumindo, acho muito bem que os enfermeiros lutem pelos seus desejos, e condeno a falta de solidariedade que existe entre os diversos grupos d eprofissionais de saude.

Espinha disse...

Giga amigo, pelo menos uma coisa conseguimos, a uniao dos técnicos de análises! Obrigado pelo comentário!

Anónimo disse...

Sou de analises clinicas esaude publica. Apoio a greve dos enfermeiros. E gostaria de ver da parte dos TDT uma greve igual a esta ou que como sugerido houvesse união. Tal como os enfermeiros quem for licenciado em análises clínicas, que é o meu caso e o caso do espinha, têm uma licenciatura de complexidade 3. Os enferemeiros nao vao deixar de lutar so pq ha outros iguais a eles....obvio...que lutemos todos contra a precariedade desemprego e discriminação salarial.